Casa da morte

Casa da morte, cujo título original é Tejas verdes, foi escrita pelo autor espanhol Fermín Cabal com base em fatos reais da época da ditadura chilena (1973-1990). Tejas Verdes era o nome de um centro de detenção dirigido pelas forças armadas, que apoiaram o General Pinochet após o golpe militar que inaugurou um cruel período de repressão política, tortura e execuções.

O texto apresenta, sob a forma de relatos, diversas perspectivas sobre o desaparecimento de Canarinho, uma jovem militante assassinada durante a ditadura. A narrativa seca de Fermín Cabal refere crueldades inimagináveis e cria uma atmosfera de horror e desesperança. Sucedem-se monólogos de Canarinho e de outros personagens ligados a ela, como, por exemplo, a amiga que a delatou e sua suposta coveira.

Casa da Morte

Com esta montagem, o Teatro do Pequeno Gesto procurou, por ocasião do cinquentenário do golpe militar no Brasil, refletir sobre esse período nefasto da nossa História. Sabemos que a violência que acompanha o totalitarismo é sempre de uma crueldade ímpar. E, justamente para que não se repita, é preciso lembrar sempre dos horrores da tortura e da impotência frente a um Estado que não respeita a cidadania.

Como pano de fundo, trabalhamos com imagens de manifestações políticas e de violência policial do passado e do presente. Esperamos, com isso, aludir ao momento atual no qual a Polícia Militar revela, mais uma vez, toda a brutalidade e a arbitrariedade que caracterizam nosso passado. Pretendemos, dessa forma, lançar um convite à reflexão sobre a cidadania em tempos de Democracia.

Ficha Técnica:

autor Fermín Cabal
direção ANTONIO GUEDES
tradução FÁTIMA SAADI
revisão da tradução ANA LUIZA ALKIMIM
cenografia DORIS ROLLEMBERG
figurino MAURO LEITE
vídeo CARLOS e ANTONIO AZAMBUJA
iluminação BINHO SCHAEFER
música PAULA LEAL e AMORA PÊRA
fotos ELLENA STELLET
produção executiva DAMIANA GUIMARÃES

COM

FERNANDA MAIA
MARCOS FRANÇA
PRISCILA AMORIM